Excesso de pelos em mulheres pode indicar desordem hormonal



Não é surpresa nenhuma encontrar pelos mais grossos e abundantes nas áreas da face (queixo e buço), do tórax e do abdome masculinos. Mas o que acontece quando o mesmo ocorre em mulheres? Nesse caso, o fenômeno é conhecido como hirsutismo, uma manifestação clínica que pode mascarar problemas mais sérios.


Com incidência de 5% a 10% na população feminina, o hirsutismo é caracterizado pelo crescimento anormal de pelos em regiões do corpo pouco comuns às mulheres. Em 80% dos casos, o distúrbio está relacionado à produção excessiva de hormônios masculinos (androgênios) pelos ovários e/ou glândulas suprarrenais. A causa mais comum para o surgimento do problema é a síndrome do ovário policístico (SOP).


Embora a disfunção possa estar associada a quadros mais graves, a endocrinologista da Clínica Mirabile, Suzana Lavigne, garante que o hirsutismo não é doença.


Trata-se de uma manifestação de excessos de hormônios masculinos ou de um aumento da sensibilidade das unidades pilossebáceas aos hormônios circulantes — explica.


Tipos de tratamento

Para determinar o tratamento adequado para o transtorno, é necessário identificar a sua causa subjacente. De acordo com a especialista, o diagnóstico do hirsutismo é clínico — isso, porque as mulheres nem sempre apresentam sintomas. Dessa maneira, a avaliação de um possível excesso de pelos é feita a partir de uma tabela que quantifica o crescimento de fios em determinadas áreas do corpo.


Você acha que pode ter hirsutismo? Ligue para (51) 3335-3388 ou envie um WhatsApp para (51) 99290-1767 e agende sua consulta. Se preferir, também estamos disponíveis através do e-mail falecom@espacom.com.br. Até logo!

27 visualizações
  • Favicon-01
  • Prancheta_1_cópia_2x
  • Prancheta 1_2x
  • whats-02
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone